sábado, 17 de julho de 2010

Selo postal (emissão especial) celebra na cidade de Brasília relações diplomáticas de Brasil e Egito

Os Correios lançam na próxima quinta-feira (22/7) na cidade de Brasília (DF), um selo postal (de emissão especial) que celebra as relações diplomáticas entre Brasil e Egito. Nesta emissão é focalizado o complexo de templos de Abu Simbel, no sul do Egito, apresentando, em especial, o conhecido Templo de Ramsés II.
Abu Simbel está localizado ao sul de Aswan, à margem oeste do Nilo, cerca de 300 quilômetros ao sul da Primeira Catarata, na região da Núbia.
Ramsés II, chamado de “O Grande”, construiu sete templos escavados na rocha, na Núbia. O de Ramsés II é o mais notável dentre eles. Esse templo não havia sido visto pelos europeus até 1813, ano em que Jean- Louis Burckhardt, explorador e viajante suíço, o descobriu.
O complexo de Abu Simbel é constituído por dois templos. Um maior, dedicado ao faraó Ramsés II e aos deuses Ra-Harakhty, Ptah e Amon, e um menor, dedicado à deusa Hathor, personificada por Nefertari, a esposa preferida de Ramsés II. É considerado uma das mais grandiosas obras do faraó Ramsés II e, para muitos arqueólogos, é o maior e mais belo dos templos. Escavado em rocha lisa de arenito foi construído com detalhes estéticos e precisão técnica admiráveis.
Os templos foram mandados construir pelo faraó Ramsés II no século XIII a.C. durante a XIX Dinastia. A construção começou aproximadamente em 1284 a.C. e terminou após cerca de vinte anos. Ramsés II iniciou o seu reinado em 1290 a.C. e reinou durante 66 anos, durante os quais mandou construir numerosos templos.

Abu Simbel é Patrimônio Mundial da UNESCO, desde
1979, em conjunto com outros monumentos da Núbia.

SOBRE O SELO: O selo reproduz a fachada principal do magnífico Templo de Ramsés II, que integra o complexo de Templos de Abu Simbel (com 33 metros de altura e 38 de largura), constituída por quatro estátuas de Ramsés II, ostentando a coroa dupla da unificação entre o Alto e o Baixo Egito. A segunda estátua foi parcialmente destruída por um terremoto em 27 a.C., encontrando-se, a cabeça e o tronco, próximos à entrada do templo. Entre as pernas das estátuas maiores há estatuetas que simbolizam alguns familiares desse grande soberano egípcio. Na parte inferior do selo são apresentadas inscrições em hieróglifos, sinais da escrita usada, entre outras civilizações, também no Antigo Egito. A imagem evoca, por meio de suas grandiosas formas arquitetônicas, a solidez e opulência do tempo dos faraós. O design ficou a cargo do artista Sérgio Eduardo Sakall, que utilizou as técnicas de fotografia e computação gráfica.
Serão emitidos 300 mil selos, com valor facial de R$ 1,05 e poderá ser adquirido nas agências e na loja virtual dos Correios (www.correios.com.br/correiosonline).

Um comentário:

Leca disse...

Adoro...selos...

Perdidamente...
Poesia de Florbela Espanca

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!